Marca própria em cosmética? Saiba tudo!

Data

Conteúdos

Criar marca própria

O que é marca própria na cosmética?

Marca própria é normalmente indicado no seu original em inglês “private label” ou “private brand”. É um modelo de distribuição em que um produto/marca é comercializado por uma empresa e encomendado a outra(s), para ser fabricada de acordo com determinado tipo de características.

Devemos fazer primeiro uma introdução. Existem marcas no mercado que são fabricadas e comercializadas pelos produtores, que podem utilizar vários sistemas e circuitos de comercialização. Diretamente ao profissional, através de distribuidores, através de revendedores locais através de catálogo (venda direta), através do marketing multinível, etc.

Muitos destes agentes ao longo do tempo vão-se apercebendo que tem uma carteira de clientes e resolvem testar o seu mercado com o seu produto. Nessa altura levanta-se a possibilidade da marca própria.

Quem pode criar uma marca própria?

Uma vez que existem quantidades mínimas, existe naturalmente a necessidade de ter volume. Portanto, importadores, distribuidores, revendedores, cabeleireiros, esteticistas, tatuadores, ou seja, todos os agentes comerciais, que possuam volume de negócio ou escala.

Porquê ter uma marca própria?

Existem várias razões para essa opção:

– Podemos testar os interesses do mercado e dos nossos clientes;

– Quando se pretende escalar o negócio (aumentar consideravelmente o volume);

– Controlar a imagem do produto;

– Controlar custos de produção e margens de negócio;

– Controlar o tipo de distribuição;

– Controlar o marketing, a frequência de compra, exclusividade e a qualidade do produto.

-…

Uma marca própria é mais económica?

Não é forçosamente mais económica. Nos cosméticos, temos que ter em conta várias variáveis. Quantidade que se fabrica, quantidade por embalagem, tipo de embalagem, tipo de etiqueta, marketing associado e desenvolvimento do próprio produto.

Qualquer fabricante produz private label?

Normalmente, todos os fabricantes podem produzir private label e existem alguns que se dedicam exclusivamente a esse tipo de trabalho.

Cada fabricante possui fórmulas próprias (standard) de acordo com os interesses de cada cliente e podem também desenvolver à medida. Dependendo da quantidade em causa, podemos escolher fabricantes diferentes. Da mesma forma, de acordo com o tipo de produto podemos escolher fabricantes especializados. A título de exemplo, a CTZ há mais de 20 anos trabalha com a INCOSPEL, especializada em coloração por oxidação e tratamentos. Colaboramos com fabricantes especializados em enchimento de produtos com gás, especializados em descoloração, produtos vegan, produtos para tatuadores, produtos para cosmética facial, etc

E quem tem pouca capacidade de rotação?

Devemos considerar que nos cosméticos existem datas de validade ou também conhecido por PAO.

Para a dimensão deste tipo de projeto, procuramos laboratórios que produzem baixas quantidades. Condição adequada quando se pretende experimentar qualidades, gostos, ou por exemplo para profissionais e tatuadores. Desde formulações Vegan ou tradicionais. Para cabelo, face, corpo e tatuagens. E com produções a partir de 50 unidades.

Existem leis específicas para as marcas próprias?

As regras que regem as private label são as mesmas dos restantes cosméticos. Em Portugal, o Infarmed é a entidade responsável e todos os produtos em comercialização na C.E. devem ser registados no CPNP-Cosmet products Notification Portal

A responsabilidade é da detentora da marca. Existem gabinetes especializados para esse efeito, assim como muitos dos produtores, disponibilizam esse serviço (pago ou como integrado no projeto).

Existem impostos especiais?

Dependendo do projeto, da investigação e do desenvolvimento em causa, poderão existir taxas especiais para patentes, ponto verde em termos de embalagens, assim como taxas sobre cosméticos, ver Decreto-Lei n.º 312/2002, de 20 de dezembro alterado pelos artigos 155º da Lei n.º 3-B/2010, de 28 de abril (OE 2010) e 176º da Lei 66-B/2012, de 31 de dezembro (OE 2013)

Conheça aqui as taxas aplicáveis.

É possível negociar projeto completo (chave na mão)?

Depende da dimensão, do produto e inclusivamente do fabricante.

Existem laboratórios que em menos de 2 meses disponibilizam uma situação standard completa (com etiquetas exclusivas, registos, etc).

Situações à medida em que tudo é feito de forma independente, desde a preparação das imagens dos tubos, as etiquetas, o desenvolvimento do produto, o teste das embalagens, o fabrico, o enchimento, os catálogos até à chegada do material ao mercado, poderão passar até 2 anos.

A legislação altera com facilidade?

Não, mas devemos ter em conta que alguns ingredientes podem alterar, deixar de ser permitidos e quando se pensa em exportação, nem todos os mercados possuem as mesmas regras.

Está a pensar num projeto novo? Fale connosco!

close

Fique connosco!

Junte-se à família CTZ e fique a par das últimas novidades e descontos

Não enviamos spam! Leia a nossa política de privacidade para mais informações.

Mais
artigos